14 março 2015

Sobre possibilidades

Vamos lá, vamos a mais uma sessão tentando organizar as ideias.
Eu me encanto muito facilmente com um padrão bem específico. Tanto que dias atrás estava até brincando ao dizer que posso fazer um Bingo.

Aí eu conheço pessoas, abro um pouquinho o portão do castelo e... e... e me fodo.
Não dá pra saber em quem confiar.
Expectativas são minhas e só eu sou responsável por elas.
A grande questão é saber quando posso criar ou não.

Não é porque a gata te chamou pra dormir na casa dela por dois dias seguidos na mesma semana em que você a conheceu é que você pode ter a tola ideia de talvez essa seja uma relação (de amizade inclusive) que vai durar.

Mulheres são estranhas.
Isso me inclui.
Eu nunca sei dosar se estou sendo grudenta demais ou se estou distante demais.
Acaba sobrando pra quem realmente gosta de mim, porque acabo ficando na defensiva na grande maioria das vezes.

Eu realmente não ligo de ficar sozinha.
Mas confesso que odeio quando resolvo sair da casinha e abrir uma portinha que seja pra possibilidade de me envolver e não dá em nada.
Seres humanos e sua incrível capacidade de lidar com rejeição.

Acho que uma das merdas que costumo jogar a culpa no signo é o fato de ser muito 8 ou 80.
Ok, que nos últimos anos isso tem melhorado e MUITO mas né... Bato na tecla de que ainda sou um ser-humano.

É...
Então é isso.
Deletei o telefone da gata da agenda. Se ela visualiza e não responde então não vale a pena eu gastar o meu tempo.




09 março 2015

Diário de Bordo #1



Esse foi gravado dia 22 do mês passado.
Algumas coisas já mudaram, a vida segue, a vida muda. Só não se transforma o que está morto.
Sem músicas, mas com linhas de pensamentos. Sem edições.

02 março 2015

Sobre sexo casual.

Das coisas que quero encontrar pra levar pra vida: pessoas que saibam o valor de um bom sexo sem estar namorando.
Sabe aquela coisa de mandar mensagem só porque está afim de "dar umazinha".
É só sexo. Sexo bom.

Seria tão perfeito.
Da mesma maneira, gostaria de não ser mal interpretada.
Gata, se te mando mensagem de bom dia é só uma mensagem de bom dia.
Eu adoro conversar e conhecer gente, se der pra aliar sexo a isso, maravilha.

O fato de me importar com as pessoas não quer dizer que eu as ame.
Eu sou apenas um ser humano bom. Just it.

Aí não adianta simplesmente sumir do mapa e não responder mensagens. Na minha concepção você acaba virando uma puta babaca por isso.
Ignorar coisas, pessoas, fatos, nunca é uma boa opção. E se tem alguém que deve se preocupar se eu estou gostando ou não, me apaixonando ou não, essa pessoa sou eu.
Eu sou responsável pelas expectativas que crio. Se você não quer um relacionamento sério, ok. Também não estou a procura de um. Acho que se você já disse isso, então não tem porque se preocupar.

O máximo que pode acontecer é eu tentar te convencer de que sou uma boa pessoa e que de repente pode dar certo, mas até aí, você não perde nada.
Voltamos pro ponto onde: eu sou responsável pelas expectativas que eu crio. Simples, rápido, fácil.



Sejamos francos.
Eu só queria mais uma noite, porque eu curti. Porque acho que rolou uma química.



01 fevereiro 2015

Sobre Orgulho

Eu aprendi a ser orgulhosa com a grande maioria das pessoas.
Existem exceções, obviamente.

Aprendi a ficar quietinha na minha, mesmo me coçando pra procurar e falar um "oi' que seja. Me seguro pra não voltar atrás de algumas decisões.
Me faz mal? Não, não faz. Mas também não faz nenhum bem.
Então fica tudo na mesma. Fico eu na mesma casa, na mesma situação.

Sempre fui de correr atrás do que quero.
O problema? É que nesse exato momento da vida eu não sei o que eu quero. Não sei quem eu quero. Ou no fundo eu não queira ninguém.
Me apego num caso impossível como forma de ocupar a cabeça, só pra não dizer que eu não tenho nem um "bem querer".

Gasto tempo, pensamentos, dedos, saliva... Gasto sem gastar, sem me comprometer, sem esperar nada em troca.
Gasto preocupação com algo que não vai me render nada porque eu justamente não quero nada nesse momento.

Talvez eu só não tenha achado a pessoa certa, ou talvez tenha e ela ainda não tenha percebido que eu realmente gosto.
Mas até aí, o fato de eu gostar não quer dizer que ela tenha que gostar de volta. Não é uma troca. Não é um contrato

O que eu faço então?
Continuo assim.
Sem mandar mensagem pra quem eu talvez devesse mostrar um pouco mais de interesse. Afinal quem está perto de mim é uma possibilidade um pouco mais real de ter um relacionamento.

O saco dessa história toda é que tenho um hiato até o meio do ano. Saber que vou mudar de cidade me fez dar um "pause" na vida. Só que o tempo continua passando.

Alguém aí tem uma solução?

23 janeiro 2015

Chuva de verão

É realmente difícil pensar em me relacionar novamente com homens depois de tanto tempo namorando meninas, conquistando meninas, tentando entender meninas e mulheres.
Não é algo que estava nos planos.
Aconteceu.

Como chuva no fim da tarde. Como uma chuva de verão, onde minutos antes o céu estava azul e límpido... Sem sinal de nuvens... Sem que alguém esperasse.

Acho que esse fato inusitado deixa as coisas ainda mais gostosas...
Esse sabor de fruto proibido.

Fujo por medo de me entregar.
Mas meus pensamentos não conseguem fugir tanto assim...

Não sei o que esperar.

*escrito ao som de

Real Time Analytics