23 março 2011

Sobre Dona José

Eu fico me perguntando se todo mundo tem problemas com a mãe assim como eu tenho.
Aliás me dá desgosto me referir de forma automática a ela e chama-la de mãe. Pra mim, há muito tempo, ela é só uma mulher que mora na mesma casa que eu.

Eu sei que quando me pergunto sobre problemas com essa senhora que me pôs no mundo as respostas podem variar.

E sei também que, por diversos motivos, não posso negar que muitas vezes ela teve uma presença diferente na minha vida.

O problema é que eu me acostumei a enxergar Dona José como uma pessoa amarga.

É como se eu conseguisse ver nela alguém que é infeliz e que por isso tenta me fazer infeliz também.

Não sou tão rebelde assim.
E também tenho consciência de que não sou a melhor filha do mundo, mas quando até mesmo no seu aniversário, essa que me trouxe ao mundo resolve ser desagradável é porque o problema é com ela e não comigo.

Já tentei mudar. Já tentei ser mais presente, conversar mais, participar mais.
Não dá certo. Quanto mais convivemos maiores os conflitos.

Aí me afasto.
E que eram momentos de ódio, aos poucos vai se tornando indiferença

Alguém já falou

Anônimo disse...

Chato, né? Mas, acho que vc fez e faz sua parte. Difícil qdo. se trata de mãe, não é uma pessoa qualquer, queira ou não. E a indiferença é triste, mesmo sendo resultado de muitas tentativas. Quer uma dica? É uma coisa que faço qdo. não consigo me comunicar com certas pessoas...eu escrevo e peço pra pessoa ler, como se estivesse mandando uma carta...rs..e sabe que funciona bem? A pessoa acaba lendo e até respondendo! Manda umas cartas pra mãe! Boa sorte!

Mariana

Real Time Analytics