21 dezembro 2011

=(

Por mais que exista a distância, por mais que os horários não batam, por mais que fizesse algum tempo que não nos falavamos com tanta frequência, a Menina da Turma do Colorê vai fazer uma puta duma falta. Vai em paz! Não tenho palavras pra descrever o que sinto.

18 dezembro 2011

Podcast - DUPA 021

Porque quem é vivo sempre aparece. Qualidade do som não muito boa mas com músicas que tão fazendo minha cabeça ultimamente. Curtinho, só pra matar a saudade. Download do Arquivo (24,6 MB)

Na madrugada, abandonada...

"E não atende o celular..." Ok, péssimo gosto começar esse post com um funk, mas né? foi o que me veio à cabeça neste instante. Estou com saudade de escrever neste espaço, saudade de falar com a galera que sempre vem aqui, saudade de contar sobre a minha vida. Estou trabalhando feito louca, prestes à virar "gerente", então tempo é algo que não anda sobrando. Em contrapartida, o trabalho me faz ter contato com pessoas diferentes todos os dias. E pessoas diferentes têm histórias diferentes. É uma das partes mais incríveis de se fazer o que faço. Dia desses tinha umas três solteironas dando em cima de mim absurdamente. Mulheres mais velhas que não sei o que viram na pessoa que as atendia. Faz bem pro ego? Faz. Mas ao mesmo tempo é estranho. Acho que no trabalho onde mais vale aquela "máxima" de que "eu sou legal, não estou te dando mole".

04 agosto 2011

De volta (ou não)

Muito tempo sem falar nada, absolutamente nada sobre mim.
Mudanças, reviravoltas. E muita coisa que eu não sei como classificar na minha vida.

Trabalhar em horários alternativos fez com que eu esquecesse da vida online quase que por completo.

Sinto falta de vir aqui, mas sempre que me sobra tempo acabo por preferir desenvolver outras atividades do que sentar e escrever.

No mais, tá tudo certo. Acho que poucas vezes estive tão feliz com o trabalho. Poucas mesmo.
Me encontrei num lugar que tem plano de carreira e pessoas felizes (e bonitas) trabalhando comigo.

Devo um podcast.
Tenho um gravado com uma participação especial. Tá gravado faz MUITO tempo, então não sei se subo... Uma vez que muita coisa não faz mais sentido na gravação...

É, isso.
Prometi, tô aqui.
Porque adoro vocês que torcem por mim.

Beijos

22 junho 2011

União civil comunitária no RJ

Ao ver uma notícia sobre União Civil no Rio de Janeiro fiquei muito feliz por ver um direito adquirido sendo posto em prática.
Aí fui reparar nas fotos, e uma me chamou a atenção em especial:


Agora estou me perguntando se fui só eu que notei que a grande maioria dos casais é tudo de mulheres. Isso confirma a "fama" de que nós, lésbicas, casamos com facilidade?

A notícia completa você confere abaixo:

31 maio 2011

Manifestação conta o PLC-122

Mais notícias: A coluna da Mônica Bergamo na Folha de SP destaca que diversos pastores evangélicos estão usando de rádios e emissoras de TV onde têm espaço para convocar uma manifestação amanhã, contra o PLC-122. Não sabe o que é direito? A Érika escreveu sobre isso há um tempo atrás, vale a pena ler.
Abaixo, reproduzo a coluna publicada na Folha de SP

EM NOME DE DEUS

Pastores de todo o país estão usando as TVs e rádios em que veiculam suas mensagens para convocar manifestação em frente ao Congresso, na quarta, em Brasília, contra o projeto que criminaliza a homofobia. Eles exigem que seja retirada da proposta qualquer restrição a pregações contra o homossexualismo nos templos. Devem participar cerca de 60 deputados da bancada evangélica e senadores como o bispo Marcelo Crivella (PRB-RJ).

TEMPLO PRESERVADO
Em reunião hoje com a senadora Marta Suplicy (PT-SP), relatora do projeto, e Toni Reis, da ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), Crivella proporá que o projeto contra a homofobia seja "enterrado a sete palmos de terra". E que outro, apresentado pelos próprios evangélicos, aumente as penas a crimes contra homossexuais -deixando a pregação nas igrejas de fora.

PALAVRAS AO VENTO
O diálogo com Marta e Toni deve ser difícil. Defensores da criminalização da homofobia dizem que de nada adianta aumentar penas para crimes contra homossexuais se a lei não conseguir conter a incitação à violência ou o estímulo ao preconceito -inclusive nos templos.

SURPRESA
E o apresentador Marcos Mion e a TV Record estão sendo processados por homofobia. Entidades do movimento gay reclamaram de comentários dele sobre a drag queen Nany People, ex-"A Fazenda", no programa "Legendários". Mion disse que ela "tem surpresinha" e perguntou "o que ela faz com o pacote" na hora do banho. Ele diz que o caso está com o departamento jurídico da Record. A emissora afirma que houve "exercício da liberdade de expressão" que "não feriu ninguém".

30 maio 2011

Não gosto dos Meninos - Completo

Pra quem não pode ir a São Paulo, pra quem foi e quer ver de novo.
Pra mandar pros amigos, enfim, abaixo tem o curta "Não gosto dos meninos" em sua versão integral, completa, sem cortes, inteirinha.

28 maio 2011

Folha de SP: Novo kit deve sair

Após serem vetados, os kits anti-homofobia serão refeitos e re-enviados ainda este ano conforme afirma matéria da Folha de SP deste sábado. Você confere a notícia, escrita por LAURA CAPRIGLIONE, abaixo:

Novo kit deve sair neste ano, diz Haddad


Segundo ministro, material anti-homofobia será refeito para distribuição; ele afirmou concordar com crítica de Dilma

Para titular do MEC, polêmica em torno dos vídeos acabou sendo "benéfica, porque o tema entrou na agenda"


O ministro Fernando Haddad disse ontem em São Paulo que o kit anti-homofobia deverá ser refeito e estar pronto ainda neste ano para distribuição em 6.000 escolas do país que registraram casos de agressões e discriminação contra gays, lésbicas e transgêneros.
Segundo o ministro, toda a celeuma em torno do kit acabou sendo "benéfica, porque o tema entrou na agenda".
"As pessoas estavam muito desinformadas", disse.
Criticado principalmente por parlamentares evangélicos, o material foi alvejado na quinta pela própria Dilma Rousseff, que disse ter visto em peças do kit "propaganda de opção sexual".
No mesmo pronunciamento, aproveitou para chamar para a Secretaria de Comunicação da Presidência a responsabilidade final pela aprovação de material produzido por órgãos de governo, como MEC e Ministério da Saúde, e que tratem de costumes ou valores culturais.

PROBABILIDADE
Ontem, Haddad disse que a presidente criticou particularmente o filmete chamado "Probabilidade", que apresenta a situação de um garoto bissexual.
Segundo ele, Dilma ficou contrariada com a mensagem final, em que voz em off diz que o garoto, "gostando dos dois [de meninos e meninas]", duplicava a "probabilidade de encontrar alguém por quem sentisse atração".
"Não tem a ver com probabilidade, isso. Essa conclusão é inadequada, porque sugere que [o bissexualismo] é uma coisa boa. E nós não temos de entrar nesse mérito; só temos de dizer que as pessoas têm o direito de não ser discriminadas", teria dito a presidente ao ministro, segundo relato dele. Haddad disse ter concordado com a crítica de Dilma.
Além desse filmete, o kit de trabalho do projeto "Escola sem Homofobia" incluiria ainda outros dois vídeos sobre transexualismo e lesbianismo, além de um livro de orientação aos professores.
Segundo o ministro, o material anti-homofobia ainda deveria passar por uma série de críticas técnicas e científicas, feitas por educadores e psicólogos.
Haddad afirmou que o kit vem sendo elaborado há três anos, período em que se produziram vários protótipos de filmetes e materiais de apoio.
"Nesse período, vários desses materiais já foram descartados e outras mudanças ainda seriam feitas, antes de o material final ser encaminhado às escolas."

HOMOFOBIA
Os 6.000 colégios para os quais o MEC pretende endereçar o kit são onde houve casos de homofobia -o país tem 27 mil escolas de ensino médio, segundo dados do Censo Escolar 2009.
Em princípio, o material seria voltado aos professores, que decidiriam sobre a conveniência de usá-lo. Segundo o ministro, o alvo são alunos do ensino médio.
Para a professora de filosofia da educação da Uerj Lílian do Valle, sem preparação adequada de docentes, o kit poderia ter efeito contrário, e "alunos homossexuais poderiam acabar mais expostos".
"Há uma supervalorização do material escolar, como se ele se bastasse. O professor é que dá sentido a esse kit."


E você, o que acha?

26 maio 2011

Lançamento Não gosto dos Meninos

Recentemente comentei o trailler de "Não gosto dos meninos" aqui no blog.

Depois disso, me perguntaram no Formspring a respeito do lançamento.
Aí fui pesquisar e descobri que sexta-feira, 27 de maio, vai rolar a sessão de estréia ali no MASP (Avenida Paulista, em São Paulo)

Aconselho a chegar cedo, porque provavelmente vai lotar.
Abaixo o cartaz:

Lançamento do curta Não gosto dos meninos, sexta-feira, 27 de maio, 19h30 no Auditório do MASP, em São Paulo

PS: Vou ver se consigo sortear um par de ingressos. Não é certeza, mas quem tiver interesse, por favor, deixe o nome nos comentários. Ok?

06 maio 2011

Academia?

Ok, me fizeram um desafio no formspring e eu resolvi aceitar: voltar pra academia.

Até o final do ano, devo apresentar algumas mudancinhas básicas no layout do < body > aqui.
Estou procurando uma fita métrica pra poder postar todas as medidas corretamente.

Por enquanto adianto que temos isso aqui definido:

Altura:...165cm
Peso:......57kg

Vou postar também uma foto que acabei de tirar, para fazermos um antes e depois.
Tá editada, mas só com efeitos, não mexi na estrutura do corpo, ok?


04 maio 2011

Ceninha de ciúmes

Não sei vocês, mas eu sou ciumentinha. Não gosto de meninas, moças e mulheres dando em cima descaradamente da minha namorada. Não é que ela vá dar atenção, mas o que realmente incomoda é gente buscando o alheio.
Tem horas que até dá pra levar, mas em outras, o ciuminho fica tão evidente que pareço uma criança emburrada.

Procuro não dar motivos para sentirem ciúmes de mim, tanto que quando acho alguém bonito, comento. Acho que o que não pode é esconder. É normal achar outras pessoas bonitas. E gosto não ligo (muito) quando ela comenta de outras meninas bonitas.

Hoje em dia a minha relação com o sentimento, com o sentir ciúmes ou não, é bem mais controlada. Ciúmes em excesso só faz mal, tanto pra quem sente, tanto pra quem é o alvo.
E vocês, como lidam com o sentimento? Também acham que um casal de mulheres tende a demonstrar mais ciúmes do que um casal hétero?

Eu já fui protagonista de ceninhas de ciúmes. Dignas de um dramalhão mexicano. Minha sorte (e mais ainda da Namorada) que eu acabei amadurecendo. Também depois de tanto dar murro em ponto de faca, uma hora você aprende.

Hoje sei que parte do ciúmes que eu sentia era insegurança. Era medo de que me trocassem por outro alguém.

29 abril 2011

Twitter fora do ar


No início da noite desta sexta-feira, 29 de abril, parece que o servidor do Twitter não aguentou o Casamento Real e parou de funcionar.

Por volta de 19h10, o site da rede social saiu do ar. A rede apresenta instabilidade, e quem utiliza a ferramenta por outros meios, como o tweetdeck, nota delay nas mensagens.

Até o momento, a página oficial com o status do serviço, não indica nenhum problema conhecido.


19:30 - Update
O site com o Status, informa que a ferramenta apresenta um alto índice de erros e que já estão tentando solucionar o problema

26 abril 2011

Lindsay à la Paris



Todo mundo já está sabendo que Miss Lohan vai cumprir pena trabalhando como faxineira num necrotério. "Serão 120 dias de prisão e 480 horas de serviço comunitário pelo furto de um colar em janeiro passado."

Será que agora ela sossega?

Às vezes acho que isso tem a ver com relacionamento dela com a Samantha.
Mas é só às vezes.

25 abril 2011

Sobre o #eusougay e a Ditadura Gay



Aí falamos sobre o #eusougay que muita gente tem apoiado e que tem também uns “gato pingado” que não entendem qual é a da campanha.

É gostoso ver as pessoas falando sobre. E o que defendo aqui, ao postar o conteúdo do site do projeto, o www.projetoeusougay.wordpress.com (cuja data limite para envio de fotos é até 1 de maio) não é que todo mundo tem que ser gay lésbica ou coisa do gênero. O que eu defendo é respeito. Como eu disse num outro post: defendo o ser humano.

É chato ler artigos como esse do vereador de São Paulo, Carlos Apolinário (DEM) E é chato não porque ele expressa a opinião, mas porque tem um entendimento errado do que é a luta pelos direitos LGBT. É claro que se a lei que pretende ser aprovada for contra a liberdade de expressão eu serei contra. Não sou contra você defender o que você pensa, desde que não ultrapasse os limites. Não é assim com o racismo? Não é assim com os preceitos religiosos?

Cada um faz o que bem entende da própria vida. Aceitar e respeitar são coisas distintas. E não busco aceitação, o que quero é respeito. Nada mais que isso.
Acho no mínimo curioso, que o vereador diga que “Não é correto usar o dinheiro público para dar privilégio a um grupo.” quando o Estado promove uma cultura de assistencialismo e supri com Bolsa Isso, Bolsa-Não-Sei-Aquilo uma série de carências que deveriam ser extintas com política social e outras coisas.

Não estou pedindo dinheiro, estou pedindo menos violência, não só com gays, lésbicas, negros ou asiáticos, mas menos violência contra o próximo.

22 abril 2011

#eusougay



Adriele Camacho de Almeida, 16 anos, foi encontrada morta na pequena cidade de Itarumã, Goiás, no último dia 6. O fazendeiro Cláudio Roberto de Assis, 36 anos, e seus dois filhos, um de 17 e outro de 13 anos, estão detidos e são acusados do assassinato. Segundo o delegado, o crime é de homofobia. Adriele era namorada da filha do fazendeiro que nunca admitiu o relacionamento das duas. E ainda que essa suspeita não se prove verdade, é preciso dizer algo.

Eu conhecia Adriele Camacho de Almeida. E você conhecia também. Porque Adriele somos nós. Assim, com sua morte, morremos um pouco. A menina que aos 16 anos foi, segundo testemunhas, ameaçada de morte e assassinada por namorar uma outra menina, é aquela carta de amor que você teve vergonha de entregar, é o sorriso discreto que veio depois daquele olhar cruzado, é o telefonema que não queríamos desligar. É cada vez mais difícil acreditar, mas tudo indica que Adriele foi vítima de um crime de ódio porque, vulnerável como todos nós, estava amando.

Sem conseguir entender mais nada depois de uma semana de “Bolsonaros”, me perguntei o que era possível ser feito. O que, se Adriele e tantos outros já morreram? Sim, porque estamos falando de um país que acaba de registrar um aumento de mais de 30% em assassinatos de homossexuais, entre gays, lésbicas e travestis.

E me ocorreu que, nessa ideia de que também morremos um pouco quando os nossos se vão, todos, eu, você, pais, filhos e amigos podemos e devemos ser gays. Porque a afirmação de ser gay já deixou de ser uma questão de orientação sexual.

Ser gay é uma questão de posicionamento e atitude diante desse mundo tão miseravelmente cheio de raiva.

Ser gay é ter o seu direito negado. É ser interrompido. Quantos de nós não nos reconhecemos assim?

Quero então compartilhar essa ideia com todos.

Sejamos gays.

Independente de idade, sexo, cor, religião e, sobretudo, independente de orientação sexual, é hora de passar a seguinte mensagem pra fora da janela: #EUSOUGAY

Para que sejamos vistos e ouvidos é simples:

1) Basta que cada um de vocês, sozinhos ou acompanhados da família, namorado, namorada, marido, mulher, amigo, amiga, presidente, presidenta, tirem uma foto com um cartaz, folha, post-it, o que for mais conveniente, com a seguinte mensagem estampada: #EUSOUGAY

2) Enviar essa foto para o mail projetoeusougay@gmail.com

3) E só

Todas essas imagens serão usadas em uma vídeo-montagem será divulgada pelo You Tube e, se tudo der certo, por festivais, fóruns, palestras, mesas-redondas e no monitor de várias pessoas que tomam a todos nós que amamos por seres invisíveis.

A edição desse vídeo será feita pelo Daniel Ribeiro, diretor de curtas que, além de lindos de morrer, são super premiados: Café com Leite e Eu Não Quero Voltar Sozinho.

Quanto à minha pessoa, me chamo Carol Almeida, sou jornalista e espero por um mundo melhor, sempre.

As fotos podem ser enviadas até o dia 1º de maio.

Como diria uma canção de ninar da banda Belle & Sebastian: ”Faça algo bonito enquanto você pode. Não adormeça.” Não vamos adormecer. Vamos acordar. Acordar Adriele.

— Convido a todos os blogueiros de plantão a dar um Ctrl C + Ctrl V neste texto e saírem replicando essa iniciativa —
Visite também http://projetoeusougay.wordpress.com/

16 abril 2011

Comentando o Trailler de "Não gosto dos meninos"

Acabei de assistir ao Trailler de um curta que vai estrear agora em maio.



Eu gostaria de fazer alguns comentários não sobre o aspecto do filme que vem por aí, mas tomando como base todos os comentários feitos na página do YouTube.

Gosto de gente engajada que luta e se associa para defender um ideal. Eu não costumo fazer muita coisa, não me julguem. Eu acho que você não merece respeito porque você é lésbica, gay, travesti ou coisa do tipo. Não concordo com esse tipo de pensamento. Antes de mais nada, todos merecemos respeito por sermos seres-humanos, semelhantes uns aos outros.

Acho babaca da parte de alguns gays e lésbicas que dizem que quem não curte é homofóbico ou é enrustido. Isso é heterofobia e é tão nojento quanto homofobia.

Sei que sofremos discriminação por essas e outras coisas. Assim como negros, asiáticos e outras minorias diferentes. O lance é que sempre que há algo "diferente" isso choca. Traz violência, assim como racismo também já fez muitas vítimas.

Só não acho que por conta disso, ou de qualquer outra opinião, a gente deva sair por aí enfiando guela abaixo algo.
Não sou melhor porque sou lésbica, bi ou hetero.
Respeito é diferente de aceitação.

Existem leis que poderão vir a ser implementadas como forma de diminuir a violência e o preconceito por conta da orientação sexual diferente. Mas existem brechas que podem ser, sim, interpretadas como abuso.

Acho que vivemos num país que passou e de certa ainda passa por censura. Ter direito a expressar a opinião deve ser algo que possa ser estendido a todos.

Enfim... é isso...
Isso é só uma parcela do que eu penso e que senti vontade de compartilhar aqui.

14 abril 2011

Quase um podcast

Só pra suprir um pouco minha ausência por aqui vou postar um set bem pequeno de músicas mixadas por mim, pra começar a animar o final de semana que tá chegando por aí.

A arte da capa tem a foto de alguém muito especial. =X

Fiz um esquema diferente, então pra ouvir é necessário baixar o arquivo (27.58 MB) nesse link:
mediafire.com/?8rb6iitwvoh3qzv

Joga no iPod e sai dançando!
E não esqueçam de comentar.

03 abril 2011

Até que ponto?

A gente insiste em algo, mesmo tendo errado e acertado muitas vezes?
Até que ponto perdoar? Minha criação católica me faz lembrar do 70 vezes 7. Faz com que eu me lembre também de "com o mesmo peso que medirdes também serás medido"

E aí, o que vocês acham?

24 março 2011

Reflexões

Não sei como devo começar ou continuar essa conversa.
Pra quem não sabe, esta semana foi meu aniversário.

Mais um outono entre tantas primaveras.

O que acontece é que ainda estou chateada com Dona José.
É uma mágoa tão grande, tão profunda que incomoda mais do que deveria.

Não costumo remoer coisas, mas confesso que tudo o que tem acontecido tem tomado mais dos meus pensamentos do que o de costume.

Se fosse qualquer pessoas, se fosse qualquer ocasião... mas não é...

E de certa forma isso diminui a minha paciência com o resto do mundo, o que não é nem um pouco legal.

Enfim...
A vida segue e uma hora a gente se acostuma

23 março 2011

Sobre Dona José

Eu fico me perguntando se todo mundo tem problemas com a mãe assim como eu tenho.
Aliás me dá desgosto me referir de forma automática a ela e chama-la de mãe. Pra mim, há muito tempo, ela é só uma mulher que mora na mesma casa que eu.

Eu sei que quando me pergunto sobre problemas com essa senhora que me pôs no mundo as respostas podem variar.

E sei também que, por diversos motivos, não posso negar que muitas vezes ela teve uma presença diferente na minha vida.

O problema é que eu me acostumei a enxergar Dona José como uma pessoa amarga.

13 março 2011

Sobre ficar revirando o passado

Essa semana estava conversando com minha amiga, esta é a primeira vez que falo dela no blog, acredito que vou falar mais vezes sobre ela, então vamos chama-la de Ilustradora.

Pois bem, estávamos conversando, desde que a conheci percebi que nossas vidas são muito parecidas, mas com um espaço de tempo entre o que acontece na vida dela e na minha.

Nessas que notei que nós, digo isso num geral, temos mania de ficar revirando passado, meio que procurando sarna para se coçar.

Ela tem uma ex no estilo "Baixinha". E ainda está na fase em que fica se perguntando diversas coisas sobre o término, sobre não estar junto, procurando justificativas do porque Fulana agiu assim ou assado.

Apesar de estar namorando, sabe que não está 100% entregue na relação. O que me faz lembrar muito do meu namoro com a Índia, que não foi a pessoa que mais amei na face da terra, mas que contribuiu e muito com o meu crescimento. Posso dizer que foi meu melhor namoro: não tinha distância, tinha alguém que cuidava de mim, não tinha problemas com os pais, afinal era uma relação em que todo mundo sabia que nós namorávamos.

Durante um bom tempo, aquilo foi bom para mim, mas chega uma hora que outras coisas começam a pesar. Nesse caso, foi o fato de que eu ainda acreditava que poderia dar certo com a "Baixinha", talvez porque a forma como havíamos brigado e nos separado não tenha sido um ponto final, mas sim, reticências...

É interessante perceber que eu só fui me abrir de fato para novos relacionamentos (e me apaixonar novamente) quando tinha desistido 100% de tentar insistir naquela história. Não à toa foi depois de um tempo que acabei conhecendo a Namorada Complicada e Perfeitinha.

O que eu conversava com a Ilustradora, é o fato de que talvez ela esteja num momento em que sabe de certas coisas, mas tem tantas outras questões na cabeça que não consegue nem resolver o passado e nem curtir o presente de forma plena.

Às vezes a resposta de tudo o que nos perguntamos sobre situações indefinidas é que simplesmente não há resposta.

25 fevereiro 2011

Outra língua

“Yeah, This sex is on fire” , at my earphones…
One more afternoon between many others. I could listen to this song so many times as I can breathe while I’m alive.
Things are gettin’ better for now. My heart, somehow is finally in peace. Ok, it doesn’t mean that it stays like this during all the week or all the month, but it’s ok. I’m done with this kind of things.
Kings of Leon make me remember of some forgettable dreams. Dreams that come as whispers… Somehow I can go back in time...

Closing my eyes, smelling that perfume... Some feelings just don't go away, even when I'm awake...



Não me perguntem o porque resolvi escrever em inglês.
Só saiu, acredito que esteja repleto de erros, mas eu precisava extravasar algumas coisas... ok, que me inglês isso pode não significar muita coisa, principalmente porque a língua diferente da normalmente falada acaba por, neste caso, limitar as formas de expressão.

Sinto falta de escrever aqui.
Diversos flashs, diversas lembranças tomam conta da minha cabeça nesta sexta-feira.
Confesso que estou contando os minutos para o final do expediente.

Amplexo pra todas!

13 fevereiro 2011

Manual do namoro à distância by Fanshas

O Fanshas vai começar a escrever um Manual sobre Namoro à distância.

O Fanshas é um dos meus blogs favoritos, um dos que não sai por nada neste mundo do meu GReader.

Namoro à distância pode até parecer um Bicho de Sete Cabeças, e às vezes até vira um, mas tem que saber levar.

Eu sempre disse para mim mesma que não iria namorar à distância, posso dizer que cuspi pro alto e caiu na testa certinho.

Não vou dizer que é fácil, até porque tem horas que a saudade aperta e machuca, mas dá pra levar.
Agora é esperar pelos próximos capítulos, tanto por aqui quanto no Fanshas

24 janeiro 2011

Podcast - DUPA 020

Edição de Número 20! O primeiro de 2011, eis o podcast mais irregular da internet brasileira:

Download do Arquivo (22,7 MB)

Diferente dos outros, esse foi montando num esquema fora do padrão...

Toquei:
Calvin Harris - The Girls
Caribou - Sun
CSS - Alala
Database remix de Stooges - Wanna be your dog
Database - Minnie Riperton - Loving You
Armand van Helden - The Funk Phenomena
Boss in Drama - All the love
Copacabana Club - King of the Night
Real Time Analytics