08 junho 2010

Querido Diário: One, two, three...

Não estava tarde, mas também não era cedo. Eu estava sozinha e havia dito que se fosse sair iria chamar um amigo. O carro estava com pouca gasolina, e eu só tinha o cartão do banco e nenhum tostão furado.

Como conheço o bar, sabia que o valor mínimo para pagar a conta com cartão é de 25,00 e eu não ando bebendo. Até porque já tinha bebido no outro bar e na pizzaria. Resolvi ir embora. Fui, fiz o retorno, parei o carro para abastecer. Trinta reais em gasolina. Na hora de pagar, me vi sem sono e resolvi arriscar: perguntei ao frentista se ele passaria um valor a mais e me voltaria o troco. Pra minha sorte ele aceitou. Grana na mão, carro abastecido, eu resolvi voltar para o bar que fica na mesma avenida do posto.
Carro estacionado. Comanda na mão, adentro o recinto.

Como era véspera de feriado e a banda que tocava é bem conhecida aqui na região, não poderia dar outra: lotado. Encontrei alguns amigos, dei oi para alguns, fui até o balcão pegar uma coca. De coca em mãos voltei para uma das rodinhas. Por acaso nessa rodinha estava a Gerente de Banco que eu “pago u pau” gostoso. Trinta e poucos anos, uma das melhores amigas do Irmão Urso. Aliás, foi por meio dele que eu a conheci quando ela ainda estava com a ex-namorada. A única vez que eu demonstrei meu interesse na Gerente, eu descobri que ela tinha terminado com a tal da ex, e já estava em outra. Outra que, por acaso, ainda é atual, e que minutos mais tarde nessa mesma véspera de feriado eu iria descobrir que é uma escrota. Escrota e recalcada.
A gerente estava com a Namorada Recalcada e mais umas amigas. Amigas de outra cidade. Todas acima de 27/28 anos.

Ah, detalhe: a Índia (minha ex-namorada, lembram-se dela?) também estava no bar e com a atual. Aliás, é um namoro que tem dado certo, ou parece dar certo, o que me deixa feliz. Tudo bem que me acho mais bonita que a atual, mas beleza não é tudo.
Tocar nesse assunto faz com que eu me lembre de que estou com saudades da minha ex-sogra, a madrasta da Índia. Tá aí outra coisa que preciso registrar: posso não ter achado a namorada ideal (existe? – melhor dizendo a que dê certo, né?), mas se eu pudesse escolher uma sogra, com certeza, a Mãe nº 2 da Índia seria a escolhida.

Junto com as amigas da Gerente e da Recalcada, tinha um casal hetero. E aí chegamos onde eu queria chegar. Eu não sabia que eles eram um casal. Eu achava que o cara era viado e que a menina (com um corpo espetacular) era bi, e fim.

Lógico que meu instinto Dom Juan deu sinal de vida, o Zé Mayer que existe dentro de mim resolveu colocar as asinhas de fora. Começamos a conversar. Eu e a guria. Enquanto o namorado, que eu não sabia que é namorado, só observava. Nos demos muito bem. Conversamos muito, fomos nos aproximando, procurando algum contato físico, com a desculpa de que estava frio. Só no flerte. Até o ponto em que eu fui buscar outra coca-cola (e a esta altura todo mundo já estava me zoando, dizendo que eu não bebo, não fumo e não trepo) quando ouço a menina, a Bi Bonita, dizendo que ninguém entendia a situação dela e do namorado. Ai puxei uma das amigas da Gerente pra um canto e perguntei qual era a do casal.

Foi aí que fiquei surpresa. Não que eu seja quadrada, mas surpresa porque o cara tem cara de viado, só por isso. Ele é hetero e eles gostam de sexo à três. –

Música de fundo neste momento do post: One, Two, Three.... ♪ *Trilha: Three – Britney*. a tia aqui sai tirando a roupa, pegando os dois pela mão e sai do bar. NOT! Tô de brinks.

Enfim, ela também gosta de meninas e já tinha dito isso e eu já tinha sacado antes dela dizer também. Ela tinha me "curtido", mas sacou que não rolaria porque eu não demonstrei interesse no boyfriend.

Aí começamos a falar sobre ménage. E foi um papo um tanto quanto interessante. Ela comentou que sempre achou que não seria capaz, que achava que ia achar esquisito quando acordasse na manhã seguinte e percebesse mais uma pessoa na cama junto com o namorado dela.

E não é que a bichinha não só acostumou, como também ("como também" sentiu o trocadilho?) passou a gostar da brincadeira. Nada contra, até porque eu morro de vontade de experimentar (segredo nosso, ok?) mãs, mas, mas, eu acho que eu ainda não tenho a cabeça trabalhada e aberta o suficiente pra isso.

Fora que ela disse uma grande verdade: quem parte pra sexo à três tem que concordar em ser, de fato, um trio, tem que fazer as pontas do triângulo girar, ou nas palavras dela “tem que fazer a roda girar.”

Não adianta ir achando que você e mais alguém vão pegar uma pessoa, ou que você vai ser pega por duas, ou que você vai pegar duas pessoas e só uma delas encosta em você, segundo ela, tem que pensar em dar e receber prazer com os outros dois, não como um casal que tem mais alguém por perto. É um trio de verdade, um time.

Confesso que se fosse só ela, eu teria “ido” sem pestanejar, mas tinha ele também. E ela, de uma maneira que acho correta, disse que só topa se for a três, afinal, se for pra ser uma dupla, ela já tem o namorado.

No fim da noite ela pediu meu telefone, e disse que havia gostado de mim. Tudo bem que ela não vai ligar. E nem to esperando por isso, mas com certeza é alguém com quem eu gostaria de conversar mais.

Sai no zero a zero, mas em paz. Até porque até aquela quarta eu ainda pensava que eu poderia voltar com a ex namorada, a Complicada e Perfeitinha. É... Achava, porque havíamos voltado a conversar, mas isso é história pra outro post.

5 já falaram

Sofia, disse...

Cara tipo... acho que só se eu levasse o relacionamento quase nada a sério pra fazer sexo a três. Ah, me esqueci que não gosto MESMO de homem. Não ia conseguir fazer a 'roda girar' eu ia ficar só com a melhor ponta! akoskaoskaosa'Mesmo se fossem três mulheres. Ah, não adianta eu nasci na década errada D:

Pensando disse...

Só posso dizer q também não ia conseguir fazer essa roda girar...Uma vez uma menina da qual eu estava afim me disse que adora fazer a três...naa hora perdi o interesse..no inicio pensei q eu era egoísta..mas agora só penso q tenho pouco horizonte..em relaçao a sexo..também creio..como a mina do primeiro post..nasci na década errada...!

Anônimo disse...

Faria o menage se não estivesse apaixonada, só curtindo. Se bem que, existe sexo sem amor, somos nós mulheres que não fomos educadas pra isso...que é perfeitamente possível para mentes abertas.

Anônimo disse...

Meange é muita mão em um só corpo, duas já são suficientes, rs. Mas, como diz a música: sexo é escolha e cada um sabe até onde vai o seu limite.

Escaminha disse...

Confesso que eu já pensei em fazer sim...já tive muuuutia vontade, mas comom você mesma disse no post, a minha cabeça não estava preparada na época para tal ação.

Real Time Analytics