29 março 2010

É que eu preciso prosear

Quem vê isso aqui, sabe que aqui não é lugar disso. Quem vê isso aqui sabe que prosa, sabe que contos e contas a gente acerta em outros lugares, mas Seu Moço, eu preciso escrever. Preciso confiar naquele cara, aquele, como é mesmo o nome dele? Tempo, Tempo é o seu nome.

E minha ansiedade se desfaz. Vai como água, por entre os dedos. Vai como o amor que eu sentia (e não sei mentir: ainda sinto).

É hora do novo. De recomeçar. Não digo começar de novo, mas ter um novo início. Uma coisa só minha, sabe?

Tudo faz sentido e tudo aconteceu conforme o esperado. Aquele que vem depois do quinto - não o quinto andar da Tiê - eu falo do sexto, o sexto sentido (e não, eu não vejo gente morta, mas vejo mortos vivos), ele não falha. E não sei se fico triste ou feliz. Feliz por acertar, triste por acertar algo ruim. Como sempre. Até porque as coisas boas são aquelas que surpreendem. O inesperado faz mais sentido. Aquilo que se espera é só aquilo que já estava previsto.

E bato papo comigo mesma. Vou escrevendo, assim, desse jeito assim, sem mais, nem menos, sem pé, sem cabeça, sem começo-meio-e-fim, porque a vida é assim e é inútil procurar sentido.

Dá pra achar uns padrões? Dá. Faz sentido? Às vezes.
Como você se sente agora? Eu? É, você! Leve. Me leve com você. Me leve pra qualquer lugar. E assim eu vou... Pra onde? Pra onde a vida me toca, pra onde eu me sinto bem.

E me sinto livre. Me sinto senhora de mim mesma. Escrava do amor, não das pessoas, mas do sentimento. Deixo o amor mandar, deixo o amor levar. E quem manda agora é o amor-próprio.

3 já falaram

Turma do Colorê disse...

E bora fazer as malas!

Anônimo disse...

Isso aí, amor próprio é que não podemos jamais perder, senão, quem nos respeitará? Tenha esse amor por si mesma por toda vida, isso que garantirá um amor de verdade, seja lá quando fôr.

Abraços
krn

Anônimo disse...

É isso mesmo, Dupa. Agora é o Amor-próprio, você disse tudo! Boas energias pra vcs duas nessa viagem!

abraços, Lu

Real Time Analytics