10 novembro 2009

Querido Diário: Depois de contar pra Dona José

Cada dia que passa é estranho perceber como algumas coisas simplesmente não vão mudar tão facilmente, por mais que já estejam diferentes.
As brigas entre Dona José e essa que vos fala diminuíram consideravelmente. Tudo bem que na maior parte do tempo ela “esquece” que contei algumas coisinhas a ela, mas num geral as coisas estão melhores por aqui.

No final de semana minha prima veio trazer o convite de casamento dela. Eu nem acredito que ela vai casar. Crescemos juntas, ela é minha prima preferida, se assim posso dizer, e eu vou ser madrinha junto com o irmão dela. Assim que ela foi embora Dona José voltou a cutucar. Até que demorou. Surgiram perguntas como: “E você? Quando é que você vai casar?” e comentários do tipo: “Sua prima vai casar, a outra também vai, e fulana já tem filho, sicrana também, e você? O que você almeja pra sua vida?”. No fundo eu quis ver nisso tudo (e quero continuar vendo) uma preocupação com meu futuro, e não uma barreira que ainda existe. Minha mãe é dessas pessoas mais antigas, sabe? Dessas que acha que mulher só é feliz se casar e tiver filhos, como todo mundo (teoricamente) faz.

Preferi não verbalizar minha resposta, embora eu tenha respondido mentalmente que pretendo casar assim que a Namorada terminar a faculdade. Aproveitando a oportunidade e só pra saciar a curiosidade que talvez possa existir: Namoro vai de vento em popa, caminhando para dois meses já. Às vezes eu paro e fico bobona, rindo sozinha, pensando em como tudo aconteceu e em como ando feliz por tê-la ao meu lado. A gente tem se entendido de uma maneira que parece que tem bem mais tempo que nos conhecemos, o que é maravilhoso, pois proporciona uma intimidade tão agradável, uma coisa de entender (quase) tudo de primeira.

Durante muito tempo meu maior medo era de que, depois da Baixinha, eu não fosse amar mais ninguém. Sorte minha que eu me enganei. Sei que meu namoro não será pra sempre. Até porque eu não sou pra sempre, mas que cada dia que passa eu desejo que seja por toda a vida, ah, não posso negar. É gostoso olhar nos olhos de alguém que você admira e ver que seu futuro, de certa forma, está ali e que você faz a dona desses mesmos olhos, feliz.
E Leoni traduziu em canção algo que até hoje não consegui definir direito:

Você me faz bem
Quando chega perto
Com esse seu sorriso aberto
Muda o meu olhar
Meu jeito de falar
Junto de você fica tudo bem, tudo certo

5 já falaram

Stella disse...

Mulher...preciso te contar...
Mamãe teve acesso a minha caixa de e-mails no último fds!!nem preciso dizer que ela leu né?
Ai me ligou chorando...e só disse q era de saudade. No dia seguinte perguntou o q era um e-mail que tinha na minha caixa(era um convite de orkut para uma comunidade gay). Eu disse q era vírus. E colou! assim...foi o q ela queria ouvir...
Desde então ela está "meio esquisita", jogando indiretas...
vamos ver até onde vai!=]
Bjos!!
Boa sorte pra todas nós...hehe

Jac disse...

Putz, contei pra minha mãe que eu era semana passada...

Impressionante como a reação das mães é meio padrão. Mas a minha ainda tá na fase do 1º post =/

As vezes acho que seria bom ela simplesmente fingir que tá td normal.

Alice disse...

Esse processo de sair do armário é mesmo doloroso. Minha mãe ficou bem perdida no início, mas hj em dia, manda até presente de aniversário para a namorada. Só o tempo mesmo para ajustar as coisas.

Escaminha disse...

Acho q a minha mãe foi a mais adversa de todas as mães de sapas.
Ela me disse que sabia desde os meus 15 anos e por isso que eu era tão revoltada...!

Essas risadinhas bestas são ótimas de dar né...até hoje eu ainda as dou...depois de mais de 2 anos de namoro.

Thais disse...

espero q minha mãe só saiba quando eu tiver longe daqui. fato.

ownnnn, toda apaixonada. q bonitinho.

Real Time Analytics