24 agosto 2009

As mulheres da minha vida: Menina de Marfim e a Certinha

Antes de mais nada: Desculpa! A vida tá corrida, uma série de atividades para desenvolver no dia-a-dia offline, por isso a demora em postar.

Mas vamos ao que interessa: A saga continua.

Como eu tenho muita sorte, insira aqui um pouco de ironia, tudo que acontece na minha vida geralmente se atrela a outras coisas. Eu estava ficando com a Menina de Marfim e paralelo a isso continuei frequentando o famoso bar de domingo. Um local onde eu costumo "bater cartão" com os amigos. Fica em outra cidade, nada de muito luxo, mas vale pela música ao vivo e pela presença feminina que é bem grande. Nesse bar eu conheci a guria perfeitinha, linda, pra casar, toda Certinha, do jeito que eu gosto.

Vou contar como nos conhecemos pra saciar a curiosidade de vocês.
Estava eu no bar, acompanhada do meu Irmão Urso, nesta noite o bar estava cheio e já não haviam mais mesas disponíveis, só nos restou beber em pé. Então revezávamos quem segurava a garrafa de cerveja. Por estarmos em pé, tinhamos uma vista privelegiada do bar, mas eu nem precisei olhar pra longe não! Justo à minha frente tinha uma mesa com 5 meninas, dois casais e a nossa Certinha, que de cara me chamou a atenção.

Não sei se já disse: mas eu simplesmente amo guria branquinha e delicadinha, quanto mais transparente, mais eu fico olhando, por ironia do destino eu namorei uma negra- a Índia - e a Baixinha - que também é bem morena.

Lembro que naquele dia eu nem estava muito afim de nada, afinal já estava de papo com a Menina de Marfim. Mas não pude deixar de reparar e comentar com meu Irmão Urso, sobre a Certinha da mesa. Pois bem, eu como sou muito folgada e estava na minha vez de segurar a garrafa de cerveja, pedi lincença para as moçoilas da mesa e perguntei se poderia deixar minha garrafa ali. Foi o "start" de algo que poderia ter dado muito certo, não fosse eu a feliz portadora de um coração muito burro.

Continuei em pé, papeando e observando o movimento. Resolvi ir ao banheiro. Nisso as amigas da Certinha armaram um senhor esquema enquanto eu fui ao banheiro: Sei lá de onde elas arranjaram outra cadeira para que quando eu voltasse fosse convidada a sentar-me com elas. De primeira eu recusei, continuei em pé, mas agora conversando com as meninas. Como o papo tava bom resolvi sentar. Papo vai, papo vem, acabei conversando mais com a Certinha. E me encantei. Depois de várias trocas de olhares rolou um beijo.

Ah como eu queria estar com o coração cicatrizado naquela época. No fundo a Baixinha ainda mexia comigo, mas enfim... A gente ficou no bar, descobri que ela mora na cidade vizinha à minha, trocamos telefones, nos adicionamos no Orkut. E começamos a nos falar. E quanto mais eu conhecia, mais eu via que ela era o que eu espero de uma companheira. Em praticamente tudo, exceto pelo fato dela ser Palmeirense, mas tudo bem, compensava, e muito.

O problema é que eu tinha todos os dias na minha sala a Menina de Marfim. E a Certinha eu só a via aos finais de semana. Já viu como ficou minha cabeça né? A Menina de Marfim com o bendito relacionamento aberto, que sempre me incomodou, e a Certinha, que morava um "pouco" longe.

A Menina de Marfim sempre foi minha amiga, logo não escondi meu interesse pela Certinha. Inclusive uma vez encontrei com a Menina de Marfim enquanto estava na balada com a Certinha. Não sei porque eu estava acompanhada, se por ciúmes, sei que nesse dia a Menina de Marfim dançou como nunca, e eu não conseguia tirar os olhos dela. Não peguem no meu pé, até porque já passou, né minha gente? Só pra constar isso tudo foi em setembro do ano passado.

Eu estava dividida. Sabia que a Certinha era garota pra namorar. Sabia também que ela meio que tinha uma "Baixinha" na vida dela. E também podia curtir a Menina de Marfim, sem me apegar, por mais que eu estivesse gostando.

Comecei a amadurecer a ideia de namorar, comuniquei a Menina de Marfim, disse que seriámos apenas amigas assim que meu pedido de namoro se oficializasse. E como pessoa burra que sou, resolvi informar - sabe-se lá porquê - a Baixinha de que eu havia conhecido alguém que queria estar comigo, alguém com quem eu pensava em namorar. Faltava um pouco de sentimento é verdade, faltava um pouco mais de paixão, mas acreditava que com o tempo o sentimento iria nascer.

Mas pra quê que eu fui falar com a Baixinha? Pra quê? Num súbito desespero, ela fez algo que jamais imaginaria que ela fosse capaz de fazer: pediu pra voltar. Era a primeira vez que ela corria atrás de mim, aquela poderia ser minha única chance de construir algo com a mulher que eu amava...



continua....

15 agosto 2009

#musicsaturday - Luzia Dvorek

Pássaro solto - Luzia Dvorek

O que sei de amor não saberia sem o trecho de poesia sem um verso de canção
Quando o amor me pega e me domina, o poeta me ilumina na neblina da paixão

Aprendi que o amor não se acorrenta, quando é solto o amor aumenta, que é pra caber na imensidão
Tem que ser amor pra que dê certo, como pássaro liberto, só pousado em sua mão
Que o amor ninguém isola, não é ave de gaiola, só nas cordas da viola que se prende um coração


De família de artistas, ela tem duas irmãs que são atrizes e a mãe escreve várias coisas, Luzia Dvorek é, além de mulher do Tarcísio Filho (ex da Ana Paula Sapata Arósio), cantora.

Essa é uma das músicas pertencentes ao CD, que deve ser lançado ainda este ano.
Recentemente tive a oportunidade de escutá-la. Um show intimista, que vale cada centavo pago. Além da música cuja letra e download você encontra aqui no DUPA, Luzia também interpretou uma versão em português de uma das músicas mais lindas de Sting: Fields of Gold.

O site da cantora não tem muitas informações, mas conta com a agenda de shows.

E só pra constar: além de cantar muito bem, dona Luzia é LINDA.

10 agosto 2009

Podcast - Dupa 012

Edição Meia Eúzia! Bem caliente pra todas nós.
Já aviso que não me responsabilizo pelo fogo alheio depois desses quase 40 minutos de áudio.

Download do Arquivo (44.9 MB)

Last Night - Puffy Daddy e Keisha Cole
Portishead - Glory Box - @Disfordangerous
Trust me - Dee Joy - @_Biscrok
Massive Attack - Teardrop - @rachelz
Ode to my Pills - Montage - @LaisDalyn
Cheap an Cheerful - The Kills - @ThaisGeller
Love Game - Lady Gaga - @Carol_Amorin
Toxic - Britney Spears - pedido do meu "Irmão Urso"
Nelly Furtado - Promiscuous. @dposadolescente, porque afinal de conta eu mando nesta bodega!

Comentários são sempre muito animadores!

06 agosto 2009

As mulheres da minha vida: a Menina de Marfim

Entre um dos (vários) intervalos do meu namoro com a Baixinha muita coisa mudou na minha vida. A empresa na qual eu trabalhava foi vendida, acabei sendo mandada embora.

Fiquei alguns meses parada, o que aliás proporcionaram briguinhas com a senhora minha mãe, Dona José, e também com a Baixinha. Fiquei cerca de 4 meses parada. Aproveitando o seguro-desemprego, torrando indevidamente meu dinheiro.

Quando voltei a trabalhar, fui parar numa instituição de ensino, não vou dar muitos detalhes porque quero preservar minha identidade, não é mesmo, meu povo?

Acabei conhecendo muita gente bacana e aumentando meu círculo de amizades.
Dentre essas amizades desde o primeiro dia reparei numa menina linda, tipo muito linda mesmo, imagine você aí uma guriazinha branca como o marfim, pequena, delicada, cabelos longos e castanhos, uma boca rosada com lábios desses que a gente até poderia chamar de perfeitos. Confesso que tentei disfarçar minha curiosidade inicial com a Menina de Marfim, afinal eu estava trabalhando.

Começamos a conversar e não sabia se aquela "coca era fanta".
Conforme nossos papos aumentavam, minha pulga atrás da orelha pulava e irratava ainda mais: eu não sabia se ela queria saber qual era a minha, se estava jogando pra descobrir e contar para os amigos. Era um jogo de sedução. Um jogo muito bom. Ela me mandava indiretas e eu ficava com dúvidas.

Das pessoas que tinham contato comigo ela era a com que eu mais conversava. Logo nas primeiras semanas já nos adicionamos no Orkut e no Messenger. Inúmeras conversas foram rolando. Soube que ela namorava já há algum tempo. Tá, não era bem um namoro, era um relacionamento aberto de três anos com um homem. Isso mesmo: "relacionamento aberto", "homem" e "3 anos" na mesma frase. Já imaginaram a merda que isso ia dar né?



_____________________
continua...

03 agosto 2009

Podcast - DUPA 011

Edição gostosinha na área!

Bastante música e opiniões das amigas twitteiras sobre namoro à distância!

Download do Arquivo (33.7MB)

A-Ha - Touchy
Duran Duran - Save a Prayer
Barão Vermelho - Meus Bons Amigos
Zeca Balero - Fiz Esta Canção
Los Hermanos - Paquetá
Ana Carolina e John Legend - Entreolhares
Marié Digby - Umbrella
Travis - Closer

E pra fechar Coldplay - Shiver.

Gostou? Quer pedir música? Sugerir um tema?
Comenta aê!
E se você não gosta do podcast, não ouve, não acha interessante, comenta também, porque aí eu fico sabendo né?

Um beijo, um queijo e amplexos para todas...


_________________
P.S. a Lais Dalyn também deu a opinião dela, como eu já tinha gravado fica aqui registrado o tweet dela:
Depende muito das pessoas,se elas estão dispostas a fazer certo e se elas não tentarem destruir aquele relacionamento.

01 agosto 2009

O ponto e o conto

Filosofando sobre a espera pelo relacionamento perfeito, a gente mistura até fadinhas e ônibus.

Começo a achar que todo mundo vive as mesmas histórias, com pequenas alterações no roteiro o no lugar das “gravações”.

Me pergunto se realmente todo mundo tem um primeiro amor, se f…, arranja outro que teria tudo pra dar certo a não ser pelo fato de ainda gostar do primeiro amor, que não por acaso é mais impossível que ir a pé para a Lua.


___________________
continue lendo...
Real Time Analytics