16 maio 2009

As mulheres da minha vida: A Baiana

Depois de contar como briguei com a Baixinha a vida continua e minha história também.

Eu sempre fui uma, humm... "rata"(?) de internet. E sempre gostei de escrever também, tanto que meu outro blog tem uns 4 anos de idade (e anda abandonado por sinal). Nessa época blogar por lá era meio que terapia: me sentia bem mais leve. O outro blog que ainda está no armário sempre carregou nas entrelinhas tudo aquilo que eu vivia. Nessa época eu o divulgava em outros blogs e principalmente em comunidades do orkut.

Um certo dia, numa dessas comunidades, uma menina linda, mas tipo muito linda, veio tirar uma dúvida sobre html comigo. Desse papo começamos a conversar mais. Em pouco tempo o assunto blogs deu lugar a outras conversas. Começamos a falar de nossas vidas. Eu eu aproveitei pra chorar o fim de uma relação com uma "pessoa" - porque toda lésbica/fancha/sapatão em início de carreira nunca diz que está chorando horrores por causa de uma guria, principalmente pra uma pessoa que você mal conhece.

A Baiana sempre foi atenciosa. Aliás disso não posso reclamar: ela cuidou muito bem de mim nesse período que eu chorava por causa da "pessoa" - vulga Baixinha. A Baiana dos belos lábios, mesmo com a distância era mais presente do que muita gente por aqui.

Eu fui melhorando, aos poucos, mas fui. E quanto percebi, tava envolvida: chegava mais cedo pra poder falar via áudio com ela. Ficavamos no MSN boa parte do dia. Éramos confidentes. Não sei como nem quando, mas contei que a "pessoa" era uma guria. Nessa época a Baiana era o ser mais heterossexual que eu conhecia virtualmente. Tínhamos algo mesmo que implícito. Eu morria de ciúmes quando ela saia pra uma tal boate soteropolitana mas ela parecia não me dar muita bola.

Lembro que liguei no aniversário dela, mesmo com vergonha, nos falamos um pouco, mesmo ela toda ocupada com os preparativos pra mais uma balada. O tempo foi passando e começamos a trocar cartas também. Lembro que dei o Edward de natal - um urso da coca-cola - e ganhei o Elvis, o hipopótamo mais sexy da face da terra e que na época cheirava Dreams. Realmente a Baiana tinha um ar de mulher dos sonhos.

Mas nem tudo era só maravilhas: tinha a distância, tinha minha carência, tinha a personalidade forte da Leonina Soteropolitana. E nesse meio tempo teve também os meus não-sei-quantos pedidos de casamento, que logicamente não foram aceitos.

Quando a Baiana começou a pensar em retribuir toda aquela minha paixão aconteceu que o computador dela simplesmente quebrou e precisou ficar uma semana na assistência técnica. Isso me fez voltar para o mundo real.

Nessa época eu não frequentava bares e/ou baladas GLS's. Tinha ido uma única vez, que por sinal me traumatizou: além de me sentir estranha - sim, eu me senti estranha na primeira vez em que fui a um bar GLS - eu tomei um fora. Um big dum fora. Enfim: quando o computador da Baiana quebrou eu percebi que estava vivendo uma vida totalmente virtual. Que estava interessada numa pessoa que eu nunca tinha visto pessoalmente e que meus dias (e minha vida amorosa) dependiam de uma máquina. Resultado? Balde de água fria nesse coração que vos tecla.

Pra complicar ainda mais a situação, aconteceu que calhou que nessa mesma semana eu recebi um convite pra ir numa PVT - entenda-se mini-rave - no final de semana. Eu fui mais pra fazer média com a guria que tinha me chamado do que por vontade mesmo. E essa rave mudou minha vida.

Chega o dia da festa, fomos no meu carro pro local da PVT, eu a minha amiga e uma amiga da amiga. Chegando lá nossa surpresa: A festa não estava bombando. Na verdade acho é que foi bombardeada porque não tinha praticamente ninguém. Mas mesmo assim muita coisa aconteceu naquele sábado de dezembro de 2006.

E a Baiana, você deve estar se perguntando certo? Pois é... O final dessa história (mais uma vez) fica pro próximo capítulo.

E não me matem.
Enquanto isso, conheçam as aventuras de Alice em Lesboland. ;)

14 já falaram

Cruela Cruel Veneno da Silva disse...

tadinha da baiana.

Turma do Colorê disse...

Que que aconteceu na tal mini rave?

- ♀

Kynha disse...

Estou adorando sua historia de amore(s).
Beijos.

'Suzane' disse...

ééééé, relacionamento (qlqr tipo) virtual é cruel.
Raves, adoooooro!! =D

mas q vc faz de proposito né, deixa o melhor pra proxima. tué do mau! hahahahahahaha

bjooo

o/

Escaminha disse...

O que será que rolo nessa PVT para interferir no assunto da Baiana hein?!?!

Pri disse...

Quanta ansiedade para o próximo...
Quero saber do relacionamento com a Baiana...

Parabéns pelo Blog, pela história de vida!

Bjos e boa semana

Rebeka disse...

Hehehe :D

Estoua guardando o proximo capitulo ^^

beijos moça e tenha uma otima semana.

P.O.S disse...

Lgalls..

No aguardo para + 1capitulo!!


;)

Alice disse...

Que fofura, uma propaganda "de grátis" pro meu blog! Adorei o carinho, obrigada.
E, mais uma vez, ansiosa pelo próximo capítulo.

Ice Ice Baby disse...

acabo de descobrir seu blog, adorei!!

até já adicionei no Twitter tb.

bj bj bj chuchu

Fernanda disse...

Menina, você precisa me ensinar seu truque para "converter" as héteros...rs
Quem nunca se apaixonou por uma que atire a primeira pedra. Todas as minhas paixões por héteros foram platônicas. :( Ainda bem que a adolescência é só um fase.
Você parou na melhor parte, só pra deixar a gente na fissura. Não pode!Menina má!

Huntress disse...

Primeira vez que venho aqui.. (lendo as regras para comentar.)

Ahm.. Sou Tayná, do blog helelasroom, e como pode ver eu não me chamo Helena, como todo mundo acha. Vim aqui porque você comentou no meu blog, aí eu vi que você também tinha um e resolvi fuçar...

Eu nunca entendi bem esse relacionamentos de internet, sei lá, um relacionamento precisa de contato, toque, minha namorada agora, conheceu a ex na internet, e diz que foram dois anos de puro sofrimento e brincadeira (porque também chegou a conclusão que não era um relacionamento e sim uma brincadeira).

Agora eu fiquei curiosa com o que aconteceu na mini-rave. Eu também não sou de sair muito, só quando fico solteira mesmo.. XD

beijããããoooo

Caio Arango disse...

finalmente resolvi postar! dá uma ajudinha lá, por favor! :D

beijo!
:D

Gil Castilho disse...

Eu me recuso terminantemente a comentar qualquer coisa sobre a história da baiana viu dona zé?
¬¬"

oooras.

Real Time Analytics