02 março 2009

Parte 2: Uma conversa que vale a pena

Eu sempre fui a favor de jogo limpo e aberto, a favor da sinceridade. Sempre fui a favor de colocar pingo no i, til no coração, n no não e cedilha na moça. Não sei se por isso escolhi a Comunicação Social como profissão: comunicar é preciso, é necessário. Por essas e outras adoro boas conversas, sejam conversas para passarmos o tempo, sejam conversas esclarecedoras.

Sábado tive uma boa conversa. Conversa do tipo esclarecedora. Gosto tanto disso, que mesmo que o resultado seja ruim eu fico feliz com a conversa, fico leve e fico livre, porque conversas sinceras e objetivas, com o objetivo de colocar o pingo no i me dispensam do tedioso trabalho/tortura de ficar pensando demais, imaginando coisas e hipóteses demais.

Eis o capítulo, conforme o prometido:
Sábado a tarde eu na faculdade, enrolando antes de ir comer algo. Entro no Messenger e encontro a Dona Engenheira online, papo vai, papo vem, a gente entra no assunto relacionamentos, dou poucas alfinetadas, mas por incrível que pareça a sempre tão quieta Dona Engenheira mostrou-se prestativa e comunicativa, falou até mais do que eu esperava. Nessas ela disse algo que há muito eu já sabia: para o meu azar (e o deleite de vocês) eu e ela somos só uma wannabe amizade.

No fundo eu já sabia. E sabia por N motivos. E no fundo eu só queria que ela fosse sincera e adulta o suficiente para me dar um fora. Não que ela tenha sido grossa ou coisa parecida. Mas eu não sou mais criança, só queria que ela entedesse isso: que tomar um fora faz parte da vida. Ainda mais quando a gente já espera pelo pior. Não foi o primeiro nem vai ser o último. Aliás a vida é assim: o não eu já tenho. Me resta ir buscar e surpreender-me com o sim.

Foi tão boa a conversa que apesar de tudo estou mais feliz e mais leve.
Agora é viver a vida. Por que o que a gente leva da vida é a vida que a gente leva e nada mais.

4 já falaram

Thais disse...

Nada melhor do que uma boa conversa esclarecedora. Também sempre achei isso. Por que complicar?
Fazer interpretações, suposições? Se podemos conversar e esclarecer.

Alice disse...

Pelo menos agora você desencana e segue em frente. Boa sorte na sua busca!

Anônimo disse...

Em algum momento você fica entre magoar uma pessoa que vc nao quer ou se preservar de se expor e acreditar que o silêncio será subentendido...O problema é que o silêncio muitas vezes é ambiguo e, dependendo da pessoa em que ele bate,pode ecoar distorcido o que sentimos.
Odeio ter que imaginar um fora no lugar de ouvi-lo.
Adoro seu blog... Clara

Anônimo disse...

Pelo menos ela foi sincera.
Linda, nao precisa ficar procurando o grande amor em todos os lugares. Essas coisas acontecem naturalmente.
Mais cedo ou mais tarde voce tera ao seu lado uma pessoa que ira fazer questao de ficar com voce. A vontade de ficar perto,cuidar e amar tem de ser reciproca.
Ate.

Real Time Analytics