27 fevereiro 2009

Surpresas no coração de uma Pós Adolescente

Depois de merecidas(?) férias cá estou de volta depois de um carnaval um tanto quanto diferente. Primeiro ano que saio para curtir de verdade, e não me arrependo.

Mas o que me surpreendeu mesmo foi a volta do carnaval. Quem me conhece sabe que estou "apaixonadinha" por uma senhorita, cujo nome não vou revelar mas digo apenas que se trata de um espécime humano de gênero feminino, mais alto do que eu e que cursa engenharia nesta humilde cidade. Para evitar tão longa descrição vou usar de um pouco de discrição, sendo assim, passaremos a chamá-la apenas de "Dona Engenheira". Pois bem, há um tempinho conheci a Dona Engenheira. Na época em que a conheci estava gozando da minha solteirice depois de ter dado um basta numa relação com uma certa pessoa, uma relação na qual apostei todas as minhas fichas diga-se de passagem, esperava me casar mas percebi que somente essa Pós Adolescente que vos escreve é que almejava esse passo tão importante na vida.

Enquanto gozava da minha solteirice vim a conhecer a Dona Engenheira: foi "paixão à primeira vista". Na época ela estava com outra guria, respeitei e o tempo passou... Entre indas e vindas com relacionamento anterior com a pessoa com quem esperava me casar, que doravante vamos chamar de Baixinha, fui conhecendo um pouco mais da Dona Engenheira. Cada nova descoberta fazia com que eu repensasse muita coisa... Acabou que numa das indas e vindas a gente se encontrou de novo e acabou ficando. Meu coração bobo se apaixonou, porém, como disse no post anterior: mulher é tudo complicada, e acabou não rolando.

Eis que passa o carnaval, decido colocar uma pedra no assunto, esquecer, partir pra outra e desistir dessa paixão não correspondida quando na quinta-feira pós quarta feita de cinzas recebo um sms da Dona Engenheira dizendo que está lendo meu outro blog. (É... eu tenho vários blogs, o outro está no armário)

Poxa, qual é? Por que esse interesse do nada? E por que me dizer que está lendo? E pra que dizer que está achando interessante?

Aguarde cenas do próximo Capítulo.

18 fevereiro 2009

Quem entende?

Difícil quem entenda uma mulher. Até porque nem nós mesmas nos entendemos. Poucas semanas atrás a Revista Época publicou uma matéria falando sobre o assunto, tratando especificamente sobre a parte sexual da coisa.

Mas imagine: se a parte física da coisa já é complicada que diremos da parte sentimental?

Mulher é tão complicada, tão complicada que enche as paciências. Não enche o saco porque eu não tenho, porque se tivesse, ahhh meu amigo, eu seria estéril neste momento! Ou candidata a vaga de Papai Noel. E mesmo não tendo saco, não me imagino vivendo sem. Até faço uma pausa, fico um tempo sem me interessar por alguém, mas no dia-a-dia sempre tem aquele momento em que você repara em algum exemplar do sexo que lhe interessa: no meu caso as benditas mulheres.

Voltando ao assunto: Mulher é um bicho complicado mesmo. Não sei se eu sou tão complicada quanto as que conheço, espero que não, embora no fundo eu saiba que sou complicada também. Complicada sim, mas com ressalvas: Sou do tipo "complicada porém prática": Sim é sim, não é não e a fila anda, com direito a catraca seletiva! Quer quer, não quer não enrola. Aliás, não me enrole. Tudo bem que eu às vezes também fico num chove não molha, mas isso só acontece quando algo de especial a pessoa tem, porque quando não rola não faço questão em esconder.

Agora me diz, gurias já são naturalmente complicadas, por que raios eu tenho o dom supremo de escolher as campeãs no quesito complicação? Porque venhamos e convenhamos uma vez que você conheça alguém "pra casar" você provavelmente vai tentar manter essa pessoa ao seu lado, correto? Pode até não gostar muuuuuito dela, mas com certeza você vai querer tentar, não é? Eu pelo menos tentaria e como boa cafa que sou menina esperta que sou tentaria manter a pessoa em questão na geladeira, tomando o devido cuidado de manter tudo fresco e arejado, porque se esse alguém realmente vale a pena assim vale pelo menos uma amizade bacana e próxima...

Por que tudo isso? Simplesmente porque eu cansei de ouvir: "Pri você é pra casar e bla bla bla...", se não está afim chega e diz: "Ow, acorda, é só amizade..." é tão mais bonito, tão mais prático e evita problemas.

Este post contem um "patrocínio": Avril Lavigne e sua canção Complicated.

04 fevereiro 2009

Aleatoriedades

Eu adoro memes, adoro respondê-los, muito embora às vezes eu simplesmente me esqueça.

Esse dias recebi um, do blog "As cartas de Theo"

Seguem as regras:
1 - Linkar a pessoa que te indicou.
2 - Escrever as regras do meme em seu blog.
3 - Contar 6 coisas aleatórias sobre você.
4 - Indique mais 6 pessoas e coloque os links no final do post.
5 - Deixe a pessoa saber que você o indicou, deixando um comentário para ela.
6 - Deixe os indicados saberem quando você publicar seu post.

1. Eu tinha escrito esse post inteirinho, mas não sei como e nem porque apertei um Control+Z o que desfez toda a bodega. Xinguei pra c*%$#* e comecei a escrever tudo de novo. Fucking shit!

2. Eu nunca cheguei aos "finalmentes" com um homem. Morro de curiosidade, mas ainda não rolou, sou fresca e acho que primeira vez tem que ser especial... Já beijei, namorei e me apaixonei, mas sexo mesmo, nada...

3. Aprendi a dirigir primeiro de ré. Eu tinha 16 anos e sempre tirava o carro da garagem para meu pai usar. Adoro carro e amo dirigir. Aprender a andar de ré fez com que desenvolvesse uma facilidade para manobrar... Tudo bem que tem dias que a baliza só sai depois de duas ou três tentativas, mas geralmente não tem "pobrema" não;

4. Me dei conta que gostava de meninas quando tinha uns 11 ou 12 anos. Percebi que sentia ciúmes da minha vizinha quando os meninos ficavam com graça para cima dela... Depois dela tive outras "paixõezinhas" platônicas... Mas nada muito sério, pelo menos não até os dezesseis...

5. Tenho uma cicatriz na sobrancelha esquerda. Coisa de criança e não se fala mais nisso...

6. Penso demais. E pensar demais é o meu mal. Dificilmente consigo me desligar, tanto que tenho por hábito deitar no chão e no escuro para ouvir música e ficar tentando ouvir cada instrumento separado. Minha psicologa não gostava muito disso não... Tenho que aprender a relaxar mais...

Acho que é só...

And the Oscar goes to... Ops! Frase errada, os blogs indicados são:

03 fevereiro 2009

Eu me apaixonei pela pessoa errada

Sabe quando você quer desencanar logo de um amor? No meio do ano passado eu tava assim, querendo me curtir, esquecer o que eu tinha passado, na dúvida entre ficar um tempo só ou ficar com metade do mundo. Acabei optando pela primeira opção. Estava saindo até que bastante, gosto de frequentar um bar numa cidade vizinha. Numa dessas esbarrei na festa junina com a nossa amiga engenheira.

A festa não estava muito cheia e ela estava na rodinha de amigas, perto da fogueira. Não sei quanto tempo passou, só sei que fiquei um bom tempo observando até tomar coragem (entenda: quentão) suficiente para ir até lá e falar pelo menos um oi, afinal um "não" eu já tinha mesmo.

Eu fui, e puxei papo não só com elas, mas com as amigas também. Eu tenho mania de acertar a primeira impressão que tenho das pessoas, isto é, dificilmente me engano, gosto de gurias certinhas e elas me atraem, bato o olho e já sei, já defino mais ou menos um padrão. O ruim é que meus olhos sempre se prendem nas que mais pra frente eu vou descobrir que são complicadas demais.

Papo vai, papo vem, não rola nada. Mas foi a melhor conversa que eu tinha tido nos últimos tempos. Ela não demonstrou interesse nenhum. Aliás interesse em mim é a última coisa que ela vai demonstrar. Tempos depois a gente se encontra no mesmo bar, se da primeira vez ela estava ficando com outra guria que não estava presente, nesta ela estava solteira por completo.

Eu sou chata. Quando quero algo vou e faço acontecer. O problema é que nossa amiga engenheira não sabe dizer não. Aliás ela tem um sério problema em dizer o que sente. Se ficamos? Sim. Eu porque já queria isso faz tempo, ela porque não conseguiu me dispensar.

Nessa época, acabei voltando com minha ex. Pra falar a verdade a pessoa que durante muito tempo considerei como o amor da minha vida, a pessoa com quem pensei em me casar, enfim, foi mais uma tentativa de fazer dar certo um amor que tá mais pra Romeu e Julieta que para qualquer outra coisa. Mas como só gostar não é suficiente pra manter um relacionamento, acabou que pouco mais de um mês esse relacionamento teve novamente um fim.

A engenheira estava comigo sempre no msn. Marcamos de sair num sábado. Eu já achava que não tinha chances, ela sabia que não tinha nem uma semana que eu tinha terminado. Eu não esperava ficar novamente, mas para minha surpresa ficamos...

O problema foi que eu sonhei. Sonhei cedo demais.
Mais uma vez não deu certo.
Ela é uma pessoa espetacular. Mas sabe-se lá o porque, está fechada para balanço...

Enquanto isso eu fico aqui, tentando decidir o que faço com essa pequena paixão que brotou, cresceu e grudou de uma tal forma que não consigo me livrar desse sentimento.

E eu sei que não vai dar em nada. Eu sei disso. Minha razão me diz isso todos os dias, mas não sei porque diachos, meu coração insiste em dizer que poderia dar certo. Nessas de escutar meu coração eu acabo fazendo papel de trouxa, o que definitivamente não é legal.



______________________________
P.S: Estou arrumando o estúdio para voltar a gravar os podcasts!
Real Time Analytics