15 janeiro 2009

Questão de escolha

Estava pensando esses dias até que ponto vale você abrir mão de algo seu para a felicidade de outra pessoa. Até que ponto é sadio ser egoísta e pensar mais em si do que nos outros. E estava pensando nisso porque resolvi pensar e me perguntar no que meus pais esperam de mim.


Sou filha única e penso de uma maneira tradicional, em levar o nome da família adiante, porém sendo lésbica fica difícil pensar nessa questão. Em construir família, ter filhos e tudo o mais. Não porque eu ache que uma famílía com duas mulheres (ou dois homens) não seja uma família, mas porque se eu algum dia casar eu pretendo casar naquele pensamento de que é pra sempre, pra vida toda e por toda a vida, até que a morte nos separe. Aí é que encontro grandes problemas: conheço poucos casais homossexuais que estão juntos há muito tempo. Não sei porque, mas me parece que na ala LGBT é muito mais difícil encontrar relacionamentos estáveis. E isso me deixa com medo.


Outro medo meu é de não ser aceita pelo meu pai. Minha mãe eu sei que terei problemas, mas se eu ficar sem meu pai eu não sei direito como vai ser. Isso não significa que nós sejamos, eu e ele, o melhor exemplo de amizade entre pai e filha, significa apenas que minha admiração por ele é maior que muita coisa.


Aí é que eu estava pensando: até que ponto valeria a pena eu trocar a minha felicidade, pela felicidade dele em me ver num casamento hetero, construindo uma família bacana e dando netos e bisnetos?


Tenho plena certeza que no fundo meu pai já sabe da minha orientação, assim como tenho certeza que se eu resolvesse me casar com um homem eu não precisaria me preocupar com onde morar: ganharia um apartamento fácil em um dos bairros nobres da cidade.

Eu gostaria imensamente de poder contar a ele. Mas tenho medo de acabar ficando sem as poucas conversas que temos.


Enquanto isso vou vivendo minha vida, pensando mais em mim do que nele.


Ao contrário de mim, a guria com quem pensei em me casar, a única diga-se de passagem, durante muito tempo teve coragem suficiente ou foi covarde o suficiente para abrir mão de um nós por conta da família. Eu não sei se a admiro por ser tão forte a ponto de desistir de ser feliz ao lado de alguém que ela ama pra fazer os pais felizes ou se fico triste por ela ter desistido no passado durante um tempo, de um relacionamento que a faria feliz.


Penso em como é injusto. Ou não. Mas é difícil ter que escolher a própria felicidade diante dos seus pais que com certeza desistiriam eles de serem felizes se eu o pudesse ser.

Pensar nisso adia ainda mais a minha decisão de sair do armário.

10 já falaram

lesbian power disse...

seu blog ta incrivel, escreve tão bem e o layout ta maravilhoso, e sobre o assunto do seu post, vou até fazer um no meu, ia escrever aqui, mas ia ficar muito grande, resolvi fazer um post sobre isso. parabéns, me identifico litros com algumas passagens, naftalina então, foi ótimo.

C. disse...

Caralho.. matou a pau.

O que acho incrível é que tem gente que [diz que] simplesmente não passou/passa esses perrengues, que não se entrega a esse tipo de questionamento. Vai entender.

Muito bem escrito moça.

Vou te linkar no meu blog!
=*

Águeda Macias disse...

Eu acho tão triste que a gente tenha que passar por tudo isso para encontrar a felicidade... =/

Espero que um dia você, sua família e sua amada encontrem um ponto de equilíbrio e vocês duas sejam um daqueles casais chatos que se amam para sempre e nunca se largam. =)

Gay Alpha disse...

Não será a definição da tua sexualidade que te impedirá de levar o nome da família adiante, acredite. Pela forma que te posicionas, a maneira que escreves e o muito que tens a dizer tenho certeza de que levarás - com honra e tenacidade - qualquer nome adiante. Teus pais vão perceber isso, sem dúvida alguma!
Valeu pelo comment, querida! E excelente final de semana pra vc!

Lily disse...

Nossa,nooossa! eu me identifiquei muitíssimo com isso!
Minha mãe, que surte e me largue, mas, meu pai se me deixar...eu morro. :(
(in)felizmente eu saí do armário - em partes. [talvez o certo seria 'estou saindo do armário', as coisas estão difícilimas x( ]

Acho tão terrível que a gente ainda tenha que se preocupar com mais esse aspecto dentre tantos outros preocupantes no campo LGBT (que não são poucos), tendo ainda a pressão natural de ser uma pessoa e viver/produzir independentemente do sexo.
Enfim...
Eu ainda concordo com o outro leitor: tu com certeza vai honrar o nome que tu tem, independente de quem que tu ama. :)

adorei o blog! :D
boa sorte! ;)

Diana disse...

Diana

É realmente muito engraçado,como justamente no dia do meu aniversário você escreve esse texto.Eu abri mão da minha felicidade,também sou filha única,e optei por calar minhas necessidades em prol da minha família.Coragem ou não,tive algumas vitórias e alguns fracassos.Mais hoje não aconselharia a ninguem agir da mesma forma que eu...
Adorei, e parabéns pelo blog

Thais disse...

blog novo http://querumcafe.blogspot.com/
ex-lesbia power, lembra? rs
post em sua homenagem. ja disse que seu layout é lindo né, preciso aprender a fazer isso, fico naqueles basicões horriveis. beijos

FOXX disse...

definitivamente vc conhece poucas pessoas então... conheço mtas pessoas casadas há mto tempo...

Alice disse...

Não sacrifique a sua felicidade em nome de alguém. Infelizmente algumas pessoas (próximas ou não) nunca vão entender a nossa situação, mas isso não deve ser motivo para você abrir mão do que é, ou será eternamente infeliz.

O layout ficou ótimo, gostei. Eu andei apanhando com o meu (ainda estou, diga-se), mas devagarzinho as coisas se acertam.

Anônimo disse...

Muito bom o texto.
Eu acho que quando voce ama de verdade e quase impossivel desistir do seu amor. Deve ser uma dor tao intensa.Isso e falta de lealdade,nao apenas consigo mesmo, mas tbem com o outro.
A garota que desistiu de ficar com voce vai deixar de ser homossexual? Vai passar a ficar com homens so por causa da familia? Acho que nao. Se ela comecar a namorar homens e se casar com um, no fundo, esse nao era apenas o sonho da familia dela, mas, de certa forma, era o sonho dela tbem. Como que voce pode deixar de ser voce 24 horas por dia? Nao sei ...
Eu ate acho que um jovem que sente atracao por homens e mulheres pode deixar seu namorado(a) do mesmo sexo, mesmo havendo amor,para tentar seguir o caminho mais facil e pratico. Mas o que dizer dos que sao 100% homossexuais?
Ha tbem as mulheres que engravidam (ha varias maneiras) e depois continuam a viver suas vidas do jeito delas, afinal, ja fizeram uma das coisas sonhadas pela familia. Muitas nem tocam no assunto homossexualidade...
Qto aos relacionamentos nao muito estaveis entre os homos,bem, nao tenho experiencia no assunto. Mas acho que a sua oobservacao procede.

Ate,
F

Real Time Analytics