08 dezembro 2008

Sinceridade Infantil

Todo mundo sabe que criança não sabe mentir. Por mais que ela solte aquele "muito obrigada" durante o aniversário, depois de ganhar um par de meias daquela tia véia, que veio de longe e que nem sabe quantos anos a pequena criança completa, ela até pode tentar mas jamais vai conseguir disfarçar a cara de que esperava algo mais lúdico, por assim dizer. Tudo bem que tem muita menininha por aí com 6 anos de idade que adoraria ganhar um kit maquiagem, pra virar mulherzinha, coisa que eu reprovo, mas enfim, criança gosta mesmo é de brinquedo. E não é qualquer brinquedo.

Mas voltemos ao assunto do post: Acho que essa qualidade, essa de não conseguir disfarçar o que sente, deveria ser umas das coisas que deveríamos levar pro resto de nossas vidas junto com a gente. Principalmente nós mulheres. Tudo bem que tem homens que são enrolados, mas as mulheres que me perdoem, e olha que sou uma delas, nós somos muito enroladas. Mas muito enroladas mesmo.

Qual a dificuldade em dizer sim ou não? Dizer se quer ou não, se gosta ou não? Pra que tanto chororô? Todo mundo toma um fora um dia, então melhor tomar o quanto antes possível. De que adianta ser "educada", ser legal, se depois alguém sai com o coração partido porque achava que tinha chance? Prefiro um não bem dado à conversas só por educação.

Eu sou objetiva, se quero, quero, se não, não enrolo muito para dizer. Posso não ser direta, mas tenho certeza que dou a entender muito bem.

A parte ruim é que nós mulheres somos muito mais possessivas que os homens. O homem é possessivo quando gosta, já a gente mesmo não gostando, odeia ver a ex com outro ou outra.

Ah se todo mundo fosse igual criança e dissesse assim, na cara, se quer ou não, tudo seria tão menos complicado. Até porque se tem uma tecla em que bato é a de que relacionamentos começam e terminam todos os dias. Melhor tentar e ver qual é do que ficar no "Se". E se deu errado? Paciência. Bola pra frente, alguma coisa de positivo há de ficar, no minímo uma liçãozinha.



Mudando de assunto: Amanhã é dia de podcast. Tem algum pedido? Manda email ou escreve no nosso mural

4 já falaram

Águeda Macias disse...

Acho que sou escorpiana demais para querer um mundo onde todos sejam absolutamente verdadeiros. =)

Ok, brincadeiras à parte, entendo o que você quer dizer. Muitas vezes fico de saco cheio dessa coisa das mulheres não se posicionarem, seja na vida pública ou na privada. Já vi vários relacionamentos acontecerem pelo 'enrolation' e não pelo sentimento.

Por outro lado, a sinceridade completa pode ser um pouco cruel, não? Acho que sou a favor de um meio termo aí. Comunicação sempre!

Alice disse...

Sim, tem muita mulher enrolada, eu já tive uma ex que era incapaz de dizer o que queria ou tomar decisões, era um inferno ter que adivinhar as vontades dela. Eu sou uma pessoa muito direta - às vezes até demais - e tenho dificuldades às vezes em conviver com quem faz muitos rodeios.

E não acho que há mais mulheres possessivas que homens, acho que essa "doença do controle" atinge ambos os gêneros - vide caso Lindemberg... Eu sou adepta da teoria que é preciso dar e receber liberdade em um namoro, ou se acaba sufocada.

Sim, Alice tem MSN, me escreve no e-mail baker.camille@gmail.com que eu te passo.

Nara disse...

Nossa, eu sou um exemplo vivo desse assunto, mais nao discordo, o melhor caminho é msm o curto e grosso, só assim não há maus entendimentos.

Parabéns Pri!!
Adoro seu blog.
Beijos



P.S:To tentando mudar!!

manicomiomundo disse...

Hummm,eu não sou possessiva,mas tudo bem,acho que isso afeta igualmente ambos os sexos.

Real Time Analytics