03 dezembro 2008

Sobre adultos, paixões, medos e inseguranças

Às vezes eu fico imaginando como deve ser a vida amorosa dessas pessoas adultas de verdade. Pedoe-me o devaneio mas afinal o que é ser adulto de verdade? Será que existe adulto de mentira?
Segundo o dicionário Adulto é aquele:
que atingiu o seu pleno desenvolvimento;
crescido;
que alcançou a maturidade intelectual.

Mas quando é que estamos plenamente desenvolvidos hoje em dia?
Por isso me peguei pensando na vida sentimental de quem deveria, teoricamente, ser adulto. Será que esse desenvolvimento é tanto que eles não tem crises? E os medos? O que os adultos fazem com os medos? Aquele medo bobo de apaixonar-se e "se phoder-se", aquela insegurança, aquela dúvida em saber se a pessoa está correspondendo na paquera.

Nesse sentido acho um tanto quanto estranho deixar de ser adolescente. Talvez por isso eu acredite que eu seja o meio termo: ser "Pós-Adolescente" me permite ter medos, me permite saber que não tenho experiência suficiente pra ser uma pessoa desencanada.

Dizem que inteligente é quem aprende com erro certo? Certo. Mas quando começo a pensar em relacionamentos que dão errado, sempre penso na carcaça que criamos ao nosso redor, no medo que fica, o medo de se apaixonar de novo e sofrer de novo. Nos doamos menos, como se a pessoa que agora aparece em nossas vidas tivesse culpa pelos erros passados.

Tá, mas e aí? Como ficam os "adultos" nessas história? Como fica quem casa tarde, depois de diversos relacionamentos que acabaram com finais não tão felizes? Será que ainda há paixão? Ou será que a gente acaba namorando por conveniência? Por medo de não achar alguém bacana, ou simplesmente por medo de se apaixonar de novo?

5 já falaram

Lia Marques disse...

Talvez os adultos, depois de tanto tentar, de tanto "errar" (errar entre aspas porque eu não acho que os relacionamentos sejam um erro, pra mim são experiências) desencanem e deixem a vida rolar, acho que eles acabam cansando de se preocupar e resolvem experimentar, resolvem deixar acontecer!
Em alguns casos (ou muitos, sei lá), mesmo não sendo o amor da vida deles, eles resolvem se casar, ou juntar, namorar, enfim.. porque eles precisam de alguém que faça companhia nas dores, nas alegrias, nos momentos importantes, ou alguém que torne os momentos importantes!
E sabe o que eu penso, os adultos somos nós daqui a pouco então os medos são os mesmos sim, mas com mais maturidade!
Pense em nós adolescentes, nos primeiros rolos, nos primeiros namoradinhos, sofríamos tanto por coisas tão bobas, e hoje ainda continuamos sofrendo, mas por coisas mais "sérias". E daqui um tempo vamos olhar pra trás e pensar que quando éramos pós-adolescentes sofríamos por coisas bobas.. enfim, é o tempo, a maturidade, a experiência, vivência... é você no futuro.

Me lembro de uns anos atrás..:
Eu ia para a escola de manhã e estava um frio insuportável, assim como o sono!
Aí eu via meus professores e eles não reclamavam de frio, não reclamavam de sono.. será que eles são tão adultos que não tem mais esses problemas?
E hoje vejo que não é nada disso, eles só não precisavam insistir no frio e no sono como nós tínhamos que insistir.. talvez com o amor seja a mesma coisa, eles só percebam que não adianta tentar planejar seu futuro milimetricamente, planejar sua vida até o fim, porque ela não anda pelo caminho que nós traçamos, ela anda conforme o vento a guia..

» Nøélya « disse...

Adultos de mentiras, são as crianças que esqueceram o quanto era bom sonhar, são auqelas pessoas que vivem sem ver o dia passar, e quando percebem jhá estão velhas e não querem voltar maios atrás, não querem buscar mais mudanças!!!

Agradeço seucomentário,volte sempre!!

Alice disse...

Acho que a capacidade do ser humano de se apaixonar e amar novamente é inesgotável, independe da idade e da experiência de vida. O amor nos move sempre.

Águeda Macias disse...

Ixi, me pergunto as mesmas coisas. E só espero não casar por conveniência e comodidade alguma dia...

manicomiomundo disse...

Amor é uma coisa bem complicada.
'Quem sabe o que é ter e perder alguém sente a dor de sentir'
Sim,eu acho que podemos amar novamente,mas não na mesma quantia,porque não é um 'negócio' que fica ligado e desligado,você,ser humano,sempre terá amado alguém mais que outra pessoa

Real Time Analytics